domingo, 30 de dezembro de 2007

Descentralização da Educação já!!



Manifesto pela Descatracalização da Educação

"Malditas sejam todas as cercas!
Malditas sejam todas as propriedades privadas
Que nos privam de viver e de amar!
Malditas sejam todas as leis, amanhadas
por umaspoucas mãos
Para ampararem cercas e bois e fazer a Terra,
Escrava e escravos os humanos."
Dom Pedro Casaldáliga


Nós estudantes oriundos das classes populares, indignados com a excludente forma de ingresso ao ensino superior público, nos manifestamos contra as barreiras, os muros e as catracas que separam a grande maioria da juventude do conhecimento produzido na universidade. Sendo o vestibular um imenso funil somos pela sua imediata extinção.

Para nós o acesso de todos à universidade pública, além de ser um direito, é também uma necessidade para reduzir as desigualdades sociais em relação ao acesso ao trabalho e intensificar o senso crítico para transformação da sociedade. Por isso exigimos imediatamente a ampliação de vagas nas universidades públicas, com o respectivo aumento de verbas para que desta forma seja saldada esta histórica dívida social.

Esta manifestação é também para dizer não a contra-reforma universitária do governo Lula. Essa reforma não amplia o acesso ao ensino superior público, não se opõe à elitização da educação e desigualdades presentes na universidade/sociedade. Contrariamente a contra-reforma destina verbas aos tubarões de ensino privado por meio de isenções fiscais enquanto deixa as instituições à mingua sem recursos, pois aumenta o processo de sucateamento tendo que procurar saída na sedenta iniciativa privada.

Somos contra as medidas demagógicas desta contra-reforma que iludem grande parte da juventude oprimida oferecendo ensino acrítico e de qualidade duvidosa. Supostamente "incluem" os estudantes de baixa renda no ensino superior, como é o caso do ProUni. Desde sua implementação – autoritária, por meio de Medida Provisória – o ProUni como principal elemento demagógico desta contra-reforma, vem iludindo a juventude excluída com universidades privadas, o governo tenta maquiar a verdadeira essência do projeto, que trata a educação com mercadoria, com a compra de vagas ociosas nas universidades privadas fortalecendo a mercantilização da educação.

Defendemos que o Estado se comprometa com as verbas necessárias a uma educação pública de qualidade como direito de todas e todos. Verbas públicas somente para educação pública sem interferência da iniciativa privada.

Entendemos que essas são algumas reivindicações e lutas dos estudantes para garantir uma transformação nos estamentos educacionais do país, conquistando a chamada descentralização da educação pelo livre acesso a universidade.

UNIVERSIDADE PÚBLICA, GRATUITA E DE QUALIDADE É UM DIREITO DE TODAS E TODOS
Associação de Alunos do Cursinho da Poli – AACP, Movimento pela Urbanização e Legalização do Jardim Pantanal – MULP, Fórum de Grêmios Livres, Instituto Zequinha Barreto, Comitê de Cursinho Populares, CACS-PUC/SP, Caifases, DCE-USP,MTL - Movimento Terra Trabalho e Liberdade, SINTUSP

Adaptado
Fonte: MTL(movimento terra trabalho e liberdade)
http://www.mtl.org.br/
Posted on by Residência do Estudante de Guanambi | 1 comment

1 comentários:

Camila disse...

Bom... É isso, gostaria de parabenizar pelo blog, continue com esse espirito crítico e revolucionário!
Beijos!